Comunicação dos Surdos - Estrutura Gramatical

09-11-2011 22:06

Comunicação dos Surdos

        Segundo L. S. Vygotsky, o desenvolvimento das capacidades mentais e da língua não era aprendido seguindo uma ordem habitual, nem emergia por alteração da forma inicial. Possuía, sim, em disso, uma natureza social e imediata, manifestando-se da interação de e a criança e internalizando o instrumento cultural da língua para os processos de pensamento.

        Vygotsky prossegue discorrendo sobre o salto dialético entre sensação e pensamento, um salto que requer a conquista de uma reflexão generalizada sobre a realidade, que é também a essência do significado das palavras.

        Assim, indivíduos da mesma cultura partilham de um sistema de signos, ou seja, a mesma língua, permitindo que eles interajam entre si. Essa língua, esses signos, ou palavras, tem um significado mais ou menos comum para os membros dessa comunidade, mas teria sentido distinto de pessoa para pessoa. Por em mente um significado razoavelmente comum. Contudo, para cada membro dessa comunidade esse mesmo significado pode suscitar diferentes fatos psicológicos em relação ao cão.

        Alguém pode, pensando em cão, associá-lo com medo, mordida, segundo suas referências em relação as suas experiências. Em suma, o que é falado, pensado pelo individuo e generalizado pelos outros em diferentes situações gera a construção de conceitos, que serão re-significados nas novas experiências desses indivíduos.

        Costuma-se dizer que a melhor forma de aprender uma língua é vivendo no país em que ela é usada, na interação com os usuários da mesma. Assim, qualquer trabalho com a língua, seja como alunos ouvintes os surdos, que estão adquirindo a primeira ou a segunda língua, deve-se se focalizar primeiramente o uso da língua em diferentes contextos e só depois proceder ao aprendizado da gramática.

    Sabemos que a Educação deve ser oferecida a qualquer criança, surdas ou não, em complementação à ação da família, para proporcionar condições adequadas ao seu desenvolvimento físico, motor, emocional, cognitivo e social. Promovendo, assim, a aplicação de suas experiências e conhecimentos, estimulando seu interesse pelo processo de transformação da natureza e pela convivência em sociedade. Entretanto, as crianças surdas deverão participar de programas de estimulação precoce para estabelecer uma comunicação.

 

Portanto, LÍNGUA DE SINAIS – SOLETRAÇÃO RÍTICA – CONFIGURAÇÃO DAS MÃOS – SISTEMA DE EXPRESSÃO GESTUAL/MÍMICA – SEMÂNTICA E CONTEXTOS são estruturas complexas que compõem todo o sistema.

 

CONTEXTO, no dicionário, significa: 1. Encadeamento das ideias dum escrito. 2. Aquilo que constitui o texto no seu todo; composição. 3. Conjunto, todo, totalidade. 4. Argumento, assunto. 5. Contextura.

 

CONTEXTURA significa a ligação entre as partes de um todo, encadeamento, contexto.

 

A comunicação dos surdos dependendo da ligação entre as partes de um todo, isto é, o contexto segue essa sequencia:

 

             VÍTIMA       -                                   VILÃO         -                              AÇÃO

(COMPLEMENTO     -                             SUJEITO               -                   PREDICADO)

 

 

Na libras fica:

Exemplo: peixe – pato – comer

Português: (O pato comeu o peixe.)

 

Fonte: KOJIMA, K. Catarina. LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS. A Imagem do Pensamento vol. 2. Editora: Livros Escala.